Mulher morre após tratar unha encravada no ‘Trauminha’; MP já investiga o caso

Após denunciarem o ocorrido, familiares ainda foram assaltados perto do MP

Após denunciarem o ocorrido, familiares ainda foram assaltados perto do MP

Não é apenas a saúde estadual que apresenta problemas, o serviço prestado pelos diversos municípios também causa preocupação. Na última semana foi aberto um inquérito pelo promotor de Justiça de Defesa da Saúde da Capital, João Geraldo Barbosa, que recebeu a denúncia que uma mulher morreu após uma série de erros cometidos pelos profissionais do Trauma de Mangabeira.

O caso ocorreu no dia 18 de maio, mas só se torna público agora. Eliane Veríssimo de Lima foi até a unidade de saúde para realizar uma sutura em uma unha do pé esquerdo. Após o procedimento, uma enfermeira disse que o médico teria prescrito a aplicação do soro antitetânico. Sem levar em conta o resultado do teste antialérgico, a paciente recebeu o medicamento e foi liberada.

No caminho para a sua residência, a paciente falou para a filha que estava sentindo falta de ar e foi levada imediatamente para o Hospital Geral do Valentina. Eliane Veríssimo chegou ao local com choque anafilático, e não respondeu aos procedimentos de reanimação.

Indignados com o ocorrido, familiares da vítima procuraram a Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde da Capital e relataram o que aconteceu. Como se não bastasse, após saírem do Ministério Público foram assaltados poucos metros depois.

O promotor João Geraldo Barbosa encaminhou o inquérito, que trata de negligência médica e dos enfermeiros, para o Conselho Regional de Medicina e para o Conselho Regional de Enfermagem.

Da Redação
Com Wscom