Após denúncia do Expresso PB, prefeitura de Mari resolve consertar o prédio da Academia de Saúde inaugurada em dezembro de 2012

Pelo que parece a atual gestão municipal de Mari só funciona na pressão. Bastou uma matéria na edição especial do Jornal Expresso PB de setembro denunciando o estado de abandono da Academia de Saúde no centro da cidade para o poder público começar a agir.

Matéria publicada na última edição do Jornal Expresso PB

A redação do Portal Expresso PB recebeu na noite desta quinta-feira (26) a informação de que a Prefeitura resolveu reformar o prédio que foi inaugurado em dezembro de 2012 e que por inoperância do poder público chegou quase que ruir de vez.

O fato curioso nisso tudo é que o Vereador Edvaldo Martins (PSB) disse no Programa da Prefeitura na Rádio Araçá FM na última quarta-feira (25) que a referida obra ainda não tinha sido entregue a prefeitura pela empresa responsável pela execução da mesma, mas pela imagem recebida por nossa equipe, os profissionais que estão no serviço de reconstrução da obra são da prefeitura municipal.

Academia começando a ser recuperada por servidores da PMM

Logo é questionável que se a obra ainda não teria sido entregue pela empreiteira, conforme o vereador havia afirmado, como pode os servidores do próprio município estarem trabalhando na referida obra?.

Pelo sim, pelo não o fato é que a obra que foi construída na gestão anterior e que a atual gestão não teve o cuidado de preserva-la finalmente tomou uma atitude para não deixar que a mesma viesse ao chão completamente, graças as constantes denúncias dos vereadores da oposição e o eco dado a esse vereadores através da Rádio Araçá FM e do Expresso PB.

Da Redação
Do Expresso PB

Dados do SAGRES/PB levantam suspeitas sobre gastos com materiais de limpeza e expediente pela Prefeitura de Mari

De acordo com as informações, durante os seis primeiros meses da atual gestão os gastos superam todo o investimento do ano anterior.

Apesar do alto investimento servidores da Saúde estariam levando o próprio papel higiênico para o local de trabalho.

Gastos supostamente exorbitantes com aquisição de materiais de limpeza e expediente pela Prefeitura de Mari durante os seis primeiros meses da atual gestão do Prefeito Marcos Martins (PSB) foram tema de debate do programa radiofônico “Araçá em Debate” veiculado no último sábado (14).

Conforme os dados apresentados pelo âncora do programa, Severino Ramo, no período de janeiro a junho deste ano a atual gestão municipal já teria gasto R$ 79.985,83 (Setenta e nove mil, novecentos e oitenta e cinco reais e oitenta e três centavos) com aquisição de materiais de limpeza. Ainda de acordo com as informações apresentadas, a despesa com o mesmo tipo de material pela gestão passada durante todo o ano de 2012 não ultrapassou o valor de R$ 73.601,80 (Setenta e três mil, seiscentos e um real e oitenta centavos).

Os dados apresentados revelaram também que a administração do Município de Mari já teria comprado R$ 53.427,81 ( Cinquenta e três mil, quatrocentos e vinte e sete reais e oitenta e um reais) em material de expediente durante os 6 primeiros meses da atual gestão. Sendo que, durante todo o ano de 2012 a gestão passada teria gasto apenas o valor de R$ 37.775,14 ( Trinta e sete mil, setecentos e setenta e cinco reais e quatorze centavos) com a aquisição do mesmo tipo de produto.

Os números foram apresentados após a realização de uma enquete durante o mesmo programa onde o apresentador quis saber a opinião dos ouvintes sobre os serviços de higiene e limpeza oferecidos nos órgão públicos municipais, tais como Postos de Saúde, Creches e Escolas. A enquete buscou também saber a opinião dos ouvintes sobre a qualidade do material de expediente disponibilizados pelo poder público junto aos mesmos órgãos para atendimento ao público.

A enquete durou 15 minutos e ouviu a opinião de 22 ouvintes através de ligações telefônicas e participação via internet. Desse total, 14 disseram que a qualidade dos serviços e materiais de limpeza, higiene e expediente oferecidos tinha piorado durante a atual gestão; 07 disseram que estavam do mesmo jeito e 01 ouvinte afirmou ter melhorado.

O Chefe de Gabinete do Prefeito chegou a ligar pra emissora e contestou a enquete alegando que a pergunta feita aos ouvintes seria algo considerado “flutuante”, pois não especificava o que seria material de expediente ou de limpeza. Mais conhecido no Município como “Dedé da Prefeitura”, o Chefe de Gabinete tentou justificar as altas somas com a compra de materiais de higiene, limpeza e expediente como uma necessidade da administração. “Se tem gasto é porque tem necessidade e se tem necessidade tem precisão” (Sic) argumentou Dedé.

Durante a participação por telefone do Chefe de Gabinete, o apresentador Severino Ramo afirmou ter conhecimento que profissionais da área de saúde do Município estariam levando o próprio papel higiênico para uso no local de trabalho.

Em relação ao fato apresentado pelo comunicador, Dedé tentou argumentar afirmando que existem servidores que preferem utilizar o próprio material de higiene, por se tratar de um “fator de higiene pessoal”. Segundo Dedé a questão é apenas uma “norma psicológica” de cada pessoa.

Copos descartáveis também não estariam sendo disponibilizados para uso das pessoas que freqüentam os órgão da administração municipal.

De acordo com Severino Ramo os dados apresentados foram encontrados no Sistema SAGRES do Tribunal de Contas do estado (TCE/PB).

Da Redação
Do Expresso PB

Em nota, Prefeitura de Mari contesta matéria do Expresso PB, ataca veículo e o acusa de servir a grupo de oposição

A Prefeitura de Mari através de sua Coordenadoria de Comunicação contestou através de nota a matéria publicada pelo Portal Expresso PB a respeito da situação do Cemitério da cidade.

Leia também: SE A MODA PEGA – Cenas de terror em Cemitério de Guarabira se repetem em Cemitério de Mari no brejo paraibaino. VEJA AS FOTOS

Tentando desqualificar a informação, conforme costuma fazer, a prefeitura acusa o Portal de está a serviço do grupo de oposição e se mostrando intolerante e “desrespeitosa”, as vezes que se referiu ao nome do portal, o fez em letras minúsculas numa nítida intenção de menosprezar não só a matéria como também o próprio veículo de comunicação. A respeito desse assunto a Direção do Portal deverá se pronunciar nos próximos dias.

A seguir, o Expresso PB publicar na íntegra da forma como foi enviado a nota da Assessoria de Comunicação da Prefeitura, mostrando que diferente do poder público, aqui tem mão e contramão:

_____________________________________________________________________

PREFEITURA DE MARI CONTESTA MATÉRIA PUBLICADA PELO PORTAL EXPRESSO

 

A prefeitura municipal de Mari, Na gestão do prefeito Marcos Martins, vem cuidando de forma séria e correta de todos os aparelhos públicos que servem a comunidade, dos setores públicos, tornando-os acessíveis as pessoas que queiram acompanhar de perto todo trabalho desenvolvido palas secretarias e  departamentos do  município. Mediante matéria publica no portal expressoPB e para comprovar que não se condiz com a verdade o ter e  as fotos publicadas pelo citado portal, no dia 14 de agosto de 2013, a assessoria de comunicação, através da codecom,  esteve in locu no cemitério da cidade e verificou que tudo ali está em perfeitas condições, limpo e conservado, diferente do anunciado em matéria fantasiosa do citado portal. As fotos aqui postadas mostram a real situação do cemitério da cidade, diferentemente do que foi postado pelo site utilizando-se de fotos antigas.  Não se concebe trazer a realidade de outro município e tentar fazer um comparativo que não é real com  o intuito de servir a oposição como este site tem feito, procurando chifre em cabeça de cavalo e inventando o que não existe para confundir a cabeça de quem ler a matéria. Na verdade o expressoPB serve ao grupo da oposição, é o site oficial deste grupo, que perdeu as eleições e não se consolou ainda. Não tentem confundir a opinião publica para tentar apagar um governo sério e que tem buscado tirar do caos uma administração recebida com inúmeros problemas, por conta da irresponsabilidade de um ex-gestor. Esse tipo de apelação mediática não vai tirar o foco do gestor Marcos Martins em querer fazer o bem do povo.

Codecom – MARI-PB

Da Redação 
Do Expresso PB

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA? Monitores do Mais Educação no Município de Mari/PB denunciam que estão sendo demitidos

Foto ilustrativa

O Portal PB 83, publicou nessa sexta-feira (08), denúncia recebida de diversos monitores do Programa Mais Educação de algumas Escolas do Município de Mari informando que os mesmos estão sendo demitidos de suas atividades.

De acordo com a denúncia poblicada no portal, muitos desses monitores assinaram contrato de 8 meses e o contrato ainda não venceu, sendo que alguns  ainda dispõem de 6 meses de validade. O mais interessante, é que, segundo a denúncia, as demissões estão sendo executadas “de boca”, portanto, se realmente estiver acontecendo isso, orientamos ao pessoal que exijam suas demissões por escrito, assinado pela coordenação do Programa.

Apesar da Redação do Portal ter deixado o espaço aberto para que alguém da administração pudesse se manifestar   e trazer  informações sobre a situação, até o momento não houve qualquer explicação.

O  programa Mais Educação é Federal mas a responsabilidade na execução do mesmo cabe ao Município, cita o portal;

A denúncia é grave e precisa ser esclarecida!

Da Redação
Com matéria do PortalPB 83

Em nota Prefeitura de Mari/PB contesta matéria do Expresso PB e responsabiliza PM’s e ex-prefeito pelo mal atendimento na saúde

A Prefeitura de Mari, através de sua assessoria de comunicação emitiu nota a imprensa na tarde desta sexta-feira (18) contestando a matéria veiculada no Expresso PB e repercutida em todo o estado a respeito de um homem que foi atendido na calçada da Secretaria Municipal de Saúde e transportado na carroceria de uma caminhote no início da tarde desta quinta-feira (17).

Leia: DESRESPEITO: Homem esfaqueado recebe atendimento na calçada da secretaria de Saúde e é transportado para o hospital na carroceria de uma caminhonete em Mari/PB

Na nota a Prefeitura de Mari se isenta de qualquer responsabilidade pelo episódio e acusa a Polícia Militar que na opinião da assessoria teve uma “atitude desumana e pouco responsável”, ao conduzir o ferido para o prédio do órgão, como também o ex-prefeito Antonio Gomes pelo não atendimento da população na área da saúde.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO À IMPRENSA E À SOCIEDADE
 
A prefeitura de Mari vem a público contestar a informação veiculada na imprensa com o título: “DESRESPEITO: Homem esfaqueado recebe atendimento na calçada da secretaria de Saúde e é transportado para o hospital na carroceria de uma caminhonete em Mari/PB”. Restabelece a verdade com as razões que passa a expor:
1. É oportuno esclarecer que, a prefeitura passa por dificuldades, haja vista os desmandos administrativos deixados pelo ex- gestor de nossa cidade.   Problemas esses insolúveis, até então, com poucos dias de governo. Não existe uma vara de condão. Não é mágica.  É  trabalho, e  com toda a equipe empenhada diuturnamente por uma Mari melhor.
 2. Deste da gestão passada, que na policlínica não existe médico nas terças e quintas- feiras.  Infelizmente o fato ainda persiste, embora a secretaria de saúde esteja empenhada para garantir o atendimento emergencial permanente; o mais rápido possível.
3. O município dispõe no momento apenas de uma ambulância que, no dia do ocorrido, estava em atendimento a um paciente com destino a João pessoa. Não obstante lembrar que as ambulâncias foram encontradas em estado deplorável, imprestável. (Cuja fotografia segue anexa). Isso sim: uma total falta de respeito com a coisa pública numa atitude criminosa com a frota totalmente sucateada.
4. Ainda em tempo, os PM´s que atenderam a ocorrência deveriam ao perceber que, não dispunha de médico na cidade, socorrer a vítima imediatamente para Sapé. E não deixá-la na calçada do prédio da secretaria de saúde, ao relento. Lá, apesar do nome, funciona a parte burocrática da pasta. O médico deve está no PSF, Hospital, Policlínica, dentre outros. Mesmo assim os profissionais fizeram os primeiros socorros.  Tentou-se alugar um táxi, mas sem sucesso. Atitude dos policias é desumana e pouco responsável.  A prefeitura tratou de, inclusive, oficia o comando do policiamento local e a Companhia de sapé para que providências sejam tomadas e fatos como esses não se repitam.
5.  A propósito, tudo seria bem mais fácil; se o ex- prefeito não tivesse feito a grande obra de seu governo: permitir o fechamento do único hospital da cidade. Mas o prefeito Marcos Martins já determinou a seus auxiliares estudar a possibilidade de reabrir o Santa Cecília.
6. Por fim, a prefeitura de Mari rechaça qualquer ato que deponha contra a dignidade da pessoa humana e reafirma o seu compromisso de trabalhar a cada dia para o engrandecimento da cidade e de seu povo.
Mari, 18 de janeiro de 2013.
 Assessoria de Comunicação
Da Redação 
Do Expresso PB
É proibida a reprodução total ou parcial deste site. CNPJ: 10.962.007/0001-48