ExpressoPB

Morre em Monteiro, aos 93 anos, pifeira Zabé da Loca e iluta cultura paraibana


A cultura monteirense e da Paraíba está de luto. Morreu neste sábado (05), a pifeira Zabê da Loca, na cidade de Monteiro no Cariro Paraibano. Zabé já enfrentava problemas de saúde há um tempo, e faleceu nesta manhã.

As primeira informações repassadas pela família são de que Zabé estava com 93 anos de idade e morreu em casa de morte natural. Nos últimos anos, Zabé lutava contra a doença de alzheimer. Ainda segundo a família, o corpo da pifeira será velado em casa durante toda a manhã deste sábado. Já à tarde, o velório acontecerá no Memorial Zabé da Loca, no Sítio Tungão, Fazenda Santa Catarina, a partir das 13h. Haverá velório também no domingo (6) no Centro Cultural de Monteiro, às 7h. O sepultamento será às 10h, no cemitério municipal de Monteiro.

O local do velório e o horário do sepultamento ainda estão sendo definidos pela família.A prefeita da cidade decretou luto oficial na cidade por três dias e artistas preparam uma grande homenagem a Zabé da Loca.

Pernambucana nascida em Buíque, Isabel Marques da Silva, ganhou o apelido por morar em um gruta (Loca) na zona rural da cidade com a família por mais de 25 anos. Isabel Marques da Silva, nasceu em 12 de janeiro de 1924. Seu apelido se deriva do fato de ter vivido por mais de 25 anos em uma loca (ou gruta), fechada por duas paredes de taipa no Assentamento de Santa Catarina, zona rural de Monteiro.

Em 2003, aos 79 anos de idade gravou seu primeiro CD, Canto do Semiárido, com composições próprias e uma versão de Asa Branca, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.

Apresentou-se em 2004 no Fórum Cultural Mundial, ao lado de Hermeto Pascoal. Em 2007, gravou o CD Bom Todo, lançado no ano seguinte no Sesc Pompéia, em São Paulo. Ainda em 2008, recebeu a Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura. Também foi eleita “Revelação da Música Brasileira”, no Prêmio da Música Brasileira.

Em 2003, aos 79 anos de idade gravou seu primeiro CD, Canto do Semiárido, com composições próprias e uma versão de Asa Branca, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.

Apresentou-se em 2004 no Fórum Cultural Mundial, ao lado de Hermeto Pascoal. Em 2007, gravou o CD Bom Todo, lançado no ano seguinte no Sesc Pompéia, em São Paulo. Ainda em 2008, recebeu a Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura. Também foi eleita “Revelação da Música Brasileira”, no Prêmio da Música Brasileira.

Em 2011, Zabé da Loca foi tema de matéria especial do Globo Rural, que viajou até Monteiro para contar a sua história.

Da Redação PB Agora

Tagged with:

Artigos relacionados