ExpressoPB

#ArquivoExpresso relembra os ‘dilemas’ da prefeita paraibana condenada a prisão que já foi cassada, no passado, por duas vezes


Adailma Fernandes é figura conhecida da justiça paraibana e de toda a região do brejo, já que costumeiramente as manchetes de jornais, revistas e mais recentemente portais estampam sua imagem. Destas, poucas são de forma positiva. Aliás Adailma, que é prefeita da Serra da Raiz por quatro mandatos, não é muita afeita a holofotes, nem a mídia. Quando é vista nela – na mídia – pode ter certeza que não é coisa muito boa, a prova disso são as manchetes que estamparam nesta quinta-feira (27) praticamente todos os portais de notícias do estado dando conta de uma condenação sua que pode lhe causar a prisão e a perca do mandato.

Leia também: Prefeita da Serra da Raiz é condenada a 4 anos de prisão e ainda perda de mandato

Mas pelo que apurou o ExpressoPB.com, Adailma já é acostumada com essas ‘turbulências políticas’ e parece nem se importar tanto assim.

Em pesquisa realizada para o quadro “#ArquivoExpresso” foi possível encontrar  dilemas como este da prefeita de longas datas.  Em dezembro de 2007, ou seja, há 10 anos atrás o Jornal Folha do Brejo estampou em uma de suas páginas a manchete: “Em Serra da Raiz, Adailma foi afastada duas vezes e  TJ acatou denúncias do MP”.

Na matéria, o antigo Folha do Brejo elenca uma séria de irregularidades em sua gestão, que iriam desde a não realização de licitações públicas até contratação de pessoal sem concurso público, conforme determina a lei.

Naquela ocasião o Pleno do Tribunal de Justiça julgou procedente as denúncias por unanimidade, mas apesar disso não a afastaram do cargo porque as denúncias julgadas se remeteriam ao ano de 2003.

Mas se o nobre leitor acha que o “currículo” da nobre prefeita acabara por ai, ainda em 2007 a Justiça Eleitoral de Caiçara cassou a Dra. Adailma com base em outro crime, o eleitoral. Antes da decisão da justiça eleitoral a prefeita também já tinha sido afastada pela Câmara Municipal, mas a Dra. Adailma conseguiu recuperar o mandato através de uma liminar antes mesmo que seu concorrente assumisse seu posto.

O prêmio para a Adailma depois desse “carregado” currículo foi ser eleita em 2012 e reeleita em 2016 onde ficará até 2020.

O quadro #ArquivoExpresso, foi criado há anos como o nome DO ARQUIVO e tem como objetivo relembrar fatos ocorridos no passado e que ainda refletem na nossa atualidade.

Da Redação 
Do ExpressoPB

Tagged with:

Artigos relacionados

Orgy