ExpressoPB

Ainda Bayeux e sua agonia


Volto a escrever sobre a catástrofe política que se abateu sobre a cidade de Bayeux nos últimos dias, assim como o fiz no artigo anterior (leia aqui), para continuar a analisar os fatos, agora com mais clareza, ocorridos com o prefeito Berg Lima.

A indignação que se viu Paraíba afora por parte de populares e setores da imprensa com relação a Berg Lima, não se reflete na mesma proporção quando o assunto é o Presidente da República Michel Temer e o seu assessor Rodrigo Rocha Loures que foi flagrado com uma mala de dinheiro fruto de propina, ou até mesmo com o Senador Aécio Neves que foi gravado pedindo propina e até planejando assassinato, caso viesse a ser delatado.

Os revoltados com Berg Lima são apáticos a Temer e a Aécio que agem com a mesma e/ou maior intensidade corruptível do primeiro. Não se pode desconsiderar esse comportamento dúbio da sociedade paraibana que tem cuspido ódio na cara do prefeito de Bayeux.

A exploração midiática da prisão – Passado o ‘choque’ do primeiro momento do fato da prisão de Berg Lima e após analisá-lo com mais tranquilidade, fico à vontade para dizer que a mídia espetacularizou a sua prisão. As pessoas não estão se dando conta que ao tempo em que expõe a imagem de algum nas condições em que as colocaram, estão estimulando e difundindo o ódio.

Em um dos vídeos, o gestor leva um “baculejo” – como dizem na linguagem popular – do delegado e o mesmo parece um ser indefeso, digno de piedade, o que entendo ser desnecessário tal humilhação, pois por mais grave que tenha sido o ato falho cometido, ele [Berg] tem mãe, tem família, some-se a isso o direito de todo e qualquer cidadão da presunção da inocência.

A vingança da mídia ao menosprezo de Berg – É sabido em Bayeux e em toda a Grande João Pessoa que o prefeito Berg Lima é um cara que não é de fácil trato com imprensa. Nesses seis meses sempre menosprezou a mídia e seus atores. Com seu revés a mídia não poupou a sua megaexposição, levou a cobertura jornalística a extravasar em todos os sentidos. Pagou caro por sua indiferença.

Ao menosprezar a mídia, Berg Lima foi enxotado por ela.

Começando mal – Qualquer semelhança de postura com relação ao ex-prefeito de Santa Rita, Netinho, é um péssimo sinal para qualquer político/gestor. Este colunista retratou em artigo anterior muitas semelhanças na posse de Luís Antonio com a de Netinho.

Chegou nos braços do povo, prometendo o que talvez nem possa cumprir e pisoteando na desgraça de seu companheiro até bem pouco tempo, literalmente, este não é um bom sinal.

Neste momento delicado que Bayeux passa, o que menos a cidade precisa é de um gestor com vaidade pessoal. Para início de governo, começou mal.

Marcos Sales
Contato com a coluna: @Salles_Marcos
Email: marcosexpresso@live.com

Artigos relacionados