ExpressoPB

Eu estava certo: Não se oferece flores a quem está armado com pedras


 “ OBSERVEM NAS ÚLTIMAS FALAS DO “””CUSPIDOR DE MICROFONES””” O QUANTO ELE NÃO SE CONTENTA COM OS GANHOS PESSOAIS E SE MOSTRA INSATISFEITO POR NÃO VER MAIS PERSEGUIÇÃO E RIGIDEZ DO ATUAL GESTOR E POR ISSO TENTA MANIPULAR A ATUAL GESTÃO PARA QUE SIGA SUAS VONTADES DIZENDO QUE A ATUAL GESTÃO “”É FRACA””!!!!! ????? BONITO O DISCURSO,, MAS É PURAMENTE DEMAGOGO E ARDILOSO!!!!!!!???

???MAIS ESPANTOSO É SE UM PREFEITO MAIOR DE IDADE, PAI DE FAMÍLIA,, SE DEIXAR MANIPULAR DESSA FORMA POR UM MERO BABÃO PAGO DE RÁDIO E AINDA BENEFICIAR O SUJEITO!!!!!! SE FIZER ISSO, REALMENTE É FRACO MESMO!!!!!‼️‼️?☠️ SE CUIDA PREFEITO QUE ESSE CARA TÁ QUERENDO É TE FERRAR!!!!! ???

* Texto extraído de uma rede social em 02 de março de 2017
referindo-se a este colunista

 

Mais uma vez eu estava certo. O maior erro do Governo de Antonio Gomes em Mari foi não olhar para o retrovisor, foi querer distribuir paz e amor sem discriminação, quando a sua frente está uma turma envolta de ódio que trabalha para instalar o caos e a discórdia.

Não se pode oferecer flores a quem está com uma pedra na mão, no mínimo o primeiro deve estar protegido por escudo. Antonio Gomes pecou por excesso de bondade e começa a pagar um preço caro por isso.

A polêmica sobre a folha de pagamento da atual gestão que domina o debate na cidade atualmente é café pequeno se comparada as folhas de pagamento de 2016 pra ‘trazmente’ – como dizia o cômico personagem da tv Odorico Paraguassú – mas a estratégia do prefeito e de seus assessores em não olhar o retrovisor e andar para frente não permitiu que a sociedade conhecesse o passado para comparar com o presente.

Antonio acreditou que era possível viver sem revanche, fez uma opção pela paz política e social, no pós eleição, mas cometeu um erro estratégico refletido nas dificuldades que hora a gestão vem enfrentando.

O processo de transformação de uma sociedade não é feito de um dia para uma noite, como pensou o nobre prefeito mariense, sobretudo numa sociedade cheia de vícios.

Num processo político acirradíssimo como este vivido em Mari, não se pode agir com ingenuidade, ou irresponsabilidade. O projeto derrotado nas urnas em 2016 não morreu, suas práticas e costumes estão nas entranhas do serviço público, representado por maus servidores, por forças externas da gestão, capitaneadas pelo principal adversário do atual prefeito.

Ainda há tempo de controlar o remo e dar rumo a essa situação, mas sem concessões e acordos, sem colocar lixo em baixo do tapete, porque logo o lixo transborda e quem está na vez é quem será atingido.

Brizola dizia: “quando vocês tiverem dúvidas quanto a que posição tomar diante de qualquer situação, atentem… Se a Rede Globo for a favor, somos contra. Se for contra, somos a favor!”. Antonio precisa adotar essa regra com relação a algumas conhecidas figuras e ao autor (não tão desconhecido assim) do texto acima que abre esse artigo.

Eu estava certo, reconheçam e corram atrás, afinal vocês estão apenas começando.

Marcos Sales
Contato com a coluna: @Salles_Marcos
Email: marcosexpresso@live.com

Artigos relacionados

Orgy