ExpressoPB

Como começar o ano com a troca de hábitos ruins por hábitos saudáveis


novo-habitosCom a chegada do novo ano é comum as pessoas planejarem metas e fazerem promessas que de alguma forma irá modificar algo beneficamente em sua vida, mas que nem sempre são alcançadas e cumpridas.

Modificar hábitos no geral, não é algo tão fácil, requer determinação e principalmente liderança e controle da própria mente.

Quem nunca prometeu algo como se exercitar, melhorar a alimentação, emagrecer, parar de fumar e não conseguiu cumprir durante muito tempo, que atire a primeira pedra.

Aliás, a segunda feira é o dia internacional da mudança de hábitos, porém abrir mão de práticas adquiridas no decorrer da vida e que se tornam comuns no dia a dia necessita de motivação, persistência e principalmente autocontrole.

Então, por onde começar?

Vamos focar na alimentação, mas isso não quer dizer que você não possa utilizar essa estratégia para outros hábitos.

Para acabar com um hábito ruim, um hábito bom e saudável deve ser colocado no lugar.

Antes de começar a sua mudança, é necessário que você entenda que seus hábitos alimentares foram adquiridos durante toda sua vida e que se você deseja modificá-los, deve haver um motivo.

Um exemplo prático é alguém querer emagrecer, fazer algumas refeições de forma saudável e em outras refeições consumir uma quantidade elevada de alimentos ricos em açúcar e gordura, e não perceber o consumo devido ser um hábito diário.

Identifique o motivo pelo qual você quer mudar e onde você deve modificar.

No exemplo, o motivo é a perda de peso e a mudança deve ocorrer na troca da ingestão de alimentos ricos em açúcar e gordura por frutas, por exemplo.

Identificou? Ponto pra você!

É importante também saber que para a troca de hábitos ocorrer e ser mantida, é preciso um tempo de adaptação e de autocontrole.

Um estudo publicado no European Journal of Social Psychology demonstrou que, em média, 66 dias são suficientes para desenvolver novos hábitos, acabando com os prejudiciais (desde que não envolva substâncias viciantes ao organismo), ou seja, os novos hábitos se tornam automáticos a partir de um determinado tempo inserido na rotina.

Siga um roteiro e o adapte no seu dia a dia.

Se adotarmos a estratégia utilizada no estudo como exemplo, podemos fazê-la da seguinte forma:

Nos primeiros 22 dias, peça ajuda de pessoas próximas e de seu convício. Faça as trocas de hábitos ruins por hábitos saudáveis. Se você quer ingerir mais verduras, legumes e hortaliças opte por saladas variadas antes do almoço, em meio a um sanduíche ou até mesmo como sendo o seu jantar. Capriche no prato!

Nos próximos 22 dias (do 23 ao 44), faça uma auto-análise. Observe as mudanças que estão ocorrendo com a troca e quais os benefícios que estão surgindo. Aproveite e incremente algo a mais, seja uma caminhada, um novo alimento, uma nova forma de preparar as refeições. Essa é a fase da persistência. Não desista!

Nos últimos 22 dias, pode ocorrer uma recaída, então busque um motivo para seguir adiante. Nessa fase, sua autoestima estará mais alta, as mudanças já serão perceptíveis. Simplesmente o fato de saber que consegue, afinal, você é o dono da sua vida – e dos seus hábitos, farão as pessoas te olhar diferente. Você tem o autocontrole que precisava. Agora, no 66º dia, dê um presente a você mesmo: comemore, vá a uma festa, à praia, faça uma viagem, se faça feliz. Só não vale fazer um banquete com tudo o que você evitou até agora.

E se bater aquela vontade de “jacar”?

Será que realmente vale a pena você deixar tudo o que conquistou por uma vontade momentânea e que pode colocar todo seu esforço por água abaixo?! Pense nisso!

– Coloque uma meta a sua frente. Tente alcançá-la. Se não conseguir no tempo que deseja, não desista. Continue!

– Pratique-a diariamente. Tenha disciplina e continuidade para que se torne um hábito.

– Evite exageros. É melhor conquistar sua meta aos poucos do que ir rápido demais e acabar desistindo.

– Remova as tentações. Não adianta querer fazer refeições saudáveis e encher o carrinho do mercado de biscoitos recheados.

– Tenha sempre algo saudável que te salve das armadilhas fora de casa, seja uma barrinha de cereal, uma garrafa com água ou uma fruta dentro da bolsa.

– Lembre-se que o “mas” e o “obrigado” são seus “amigos”. Utilize a técnica  que funciona da seguinte forma: quando você sentir muita vontade de cair em tentação, use o “mas” para voltar à sua meta. E se alguém te oferece algo que você tirou do seu hábito, diga: “Não, obrigado!”.

Exemplos:

“Estou com vontade de comer uma coxinha com um copo de refrigerante, mas se eu comer um sanduíche natural com um copo de suco natural a vontade vai passar”.

“Quero dormir até tarde, mas se eu levantar para caminhar, vou me sentir muito melhor depois”.

Aos poucos você verá que seus objetivos estão sendo alcançados sem que você perceba. Caso tenha dúvidas, busque o auxílio de um profissional.

Abraços da nutri! =)

Fonte: blog.dietbox.me

Fernanda Marinho
Bacharel em Nutrição pela
Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba

Artigos relacionados